Carta aberta Crea-RJ e CRT-RJ sobre acidente na ponte Rio-Niterói

CARTA ABERTA

CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO RIO DE JANEIRO – CREA-RJ

CONSELHO REGIONAL DOS TÉCNICOS INDUSTRIAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – CRT-RJ

O acidente ocorrido na segunda-feira, 14 de novembro, quando o navio graneleiro São Luiz, que estava à deriva na Baía de Guanabara, chocou-se com um dos pilares da Ponte Rio-Niterói, não pode ser atribuído ao acaso ou a condições climáticas severas. 

Embarcações são obras de construção naval e, como todo produto da área tecnológica, requer manutenção assistida por engenheiros e técnicos, pois trazem riscos à sociedade. Qualquer que tenha sido a relação de causalidade da colisão da embarcação com a ponte, não afasta a necessária identificação dos responsáveis técnicos pelo acidente. 

Hoje existem cerca de 200 embarcações abandonadas na Baía de Guanabara, um passivo ambiental enorme, que já se arrasta por mais de três décadas. O risco é grande para o meio ambiente, uma vez que estas embarcações estão sujeitas a derramamento de óleo e outras substâncias químicas, que podem contaminar o ecossistema local.  

Além disso, estas embarcações abandonadas impactam a navegabilidade e a pesca artesanal na região. Por tudo isso, é necessário um esforço coletivo das autoridades públicas para evitar outros eventos dessa natureza. 

Neste sentido, considerando as prerrogativas legais de fiscalizar as atividades técnicas aplicáveis à construção, operação e manutenção de embarcações, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio de Janeiro juntamente com o Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado do Rio de Janeiro se colocam à disposição das demais autoridades que apuram as responsabilidades pelo ocorrido, colaborando com a identificação e responsabilização dos agentes que deram causa ao dano. 

 

Rio de Janeiro, 16 de novembro de 2022

Luiz Antonio Cosenza
Eng. Eletricista e de Seg. do Trabalho
Presidente do CREA-RJ

Gilberto Palmares
Técnico em Eletrônica
Presidente do CRT-RJ